« Domestico | A Faca que Matou José Augusto » | Stravinsky... » | Embolada » | Sim, vcs não podem perder A orgia universal no Mo... » | Verdade » | Triste... » | Mão » | Caldas » | Cheiros » | Molotov »

Vagos versos




Senta deita e fica
Chora mansa e grita
Pula, deita e rola
Manda qu'eu te escuto
Fica, te apóio

Eu e tantos loucos
Vou caindo aos poucos
Vou sonhando solto
Arranhando o mundo

Cheiro o beijo e sente
Faz da terra ardente
O calor do mundo
Sonho moribundo
Desde que o poeta nasceu

Cai a carestia
Vai raiar o dia
Minha louca vida
Meu tempo inculto
Vai tomando tudo...

Dança nessa noite
não tem mais açoite
Minha louca vida
Meu cetro noturno
Vai tomando tudo...

Lua enlouquecida
Vem comigo fria
Deita no meu colo
Vou deixar o sono
Vou ficar mansinho
Amor...

Lua dos meus beijos
Faz dos meus desejos
Mais do que ternuras
Mais do que loucuras
Faz comigo à noite
Amor...

Gostei muito desse...principalmente da última estrofe!
Bjos!

Bela inspiração.

Bela lua que te fez companhia.

mmm.... tava precisando de uns trem desses pra animar! :P

rsrsrsrsrss

Tava de bobeira embaixo de uma árvore?

Inspiração vem assim mesmo.

Já falou com a Cláudia hj?

Você anda flertando com a poesia popular há algum tempo...

Anda lendo cordel?

Que bonitinho :)

Mas que bonitinho?
Adorei!

Posta un commento