« Domestico | Niver » | Puskas » | Desejos e delírios » | Fichas » | Quando eu vir dali » | Espelhos » | Lágrimas » | A Voz » | Gente... » | Auto-retrato »

Quando a vejo é como uma orquídea
Leve e jeitosa, com as pétalas abertas
Balançando ao vento e exalando o cheiro
Imperceptível e erótico:
Pólen das entranhas

E eu, jardineiro que sou
Cuido dela com minhas mãos hábeis
Pra que ela seja só minha
Minha flor

Como disse... singelo e bonito. Uma forma simples de amar e desejar.

Você é uma Ferrari, Poeta: consegue ir de 0 a 100 em menos de três segundos.

Adoooooooooooooro! Beijokas!

voltei!
nossa, gostei!
toda a vez que olho pra uma orquídea, lembro da minha flor... e fato, são bem parecidas!

oh sim... é verdade...
há jardineiros que fazem as flores ver estrelas...

Faço minhas as palavras de sad e acrescento: me fazes ver arco-iris.

(um beijo)

flor = mulheres...
ai que lindo

Questo commento è stato eliminato da un amministratore del blog.

Erotismo implícito...
que maravilha...

Bem, poeta, no site são apenas experiências ousadofônicas...

Quem sabe algum desses dias meus e seus não poderá ser um dia nosso, e então poderemos compartilhar a flor que canta e o poeta que sente...

Um abraço franco

AP

"E eu, jardineiro que sou"
... amei.
Lindo! Simplesmente isso.

Pô, lindinho esse.

[Repare que só as mulheres comentam aqui:D]

Posta un commento