« Domestico | Espelhos » | Lágrimas » | A Voz » | Gente... » | Auto-retrato » | Vagos versos » | A Faca que Matou José Augusto » | Stravinsky... » | Embolada » | Sim, vcs não podem perder A orgia universal no Mo... »

Quando eu vir dali



Quando eu vir dali
Vendo na estrada, o sol
Brilhar mais forte que eu
E de outro lado, meus dedos
Sujos na surdina do carro
Entenderei o céu
E poderei te levar até as estrelas



Mas, quando eu vir dali
As flores vivas que me domam
Em cores fortes e fugazes
Do espectro estelar
Terei mais do que tenho
E te darei mais que posso

Mas, quando eu vir dali
Mais do que o beijo
E o sexo, e o amor
Mais do que loucura
Da tua mão em meu peito quando gozas
Mais do que tudo isso
Será o brilho dos meus olhos
Ao encotrar os teus

nussa....
inspirou....
tô achando que vou apaixonar pelo engenheiro depois dessa...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Cara
Eu adorei.
Beijos

Questo commento è stato eliminato da un amministratore del blog.

Muito lindo! A última estrofe me tocou fundo, como há muito não acontecia. Li várias vezes... e a sensação boa se renovou em todas elas. Lindo!

Meu amigo, muito bom o poema, e o template ta u bixu!!!!

Um dos poemas mais lindos que eu já li. Cheio de ternura.
Bjos!

Será o brilho dos meus olhos
Ao encotrar os teus

que lindo....

chuif

Posta un commento