domenica, luglio 30, 2006

Triste...

É...
Tão triste não saber
Porque as coisas vem e vão
Nem o mais sábio dos sábios
Conhece a resposta

Só depois que tu se fostes
Que entendi que nunca é cedo
Pra se ter um grande amor

E agora
Os dias são tão compridos
Nas noites frias de julho
Não consigo dormir
Porque você não está
Ao meu lado

E ando insolente
Perdido no mundo
Sem sorrir
Sem viver
Sem saber que o amor
Se foi

E

É tão triste não saber
Porque as coisas vêm e vão
É tão triste não saber
Porque um grande amor...

Só um grande amor...


********************************************************

Só pra constar, eu não estou triste não. Eu só ando meio sorumbático e estressado por causa da faculdade. E, por causa disso não posso dar a atenção que algumas pessoas merecem...

Tomem esse post como um pedido de desculpas...

Abraços

P.S.: Pra quem tá a fim de algo mais envolvente...
Clica aqui

venerdì, luglio 28, 2006

Bela Flor

Chora sozinha a Bela-Flor
Chora anuviada
Chora escandalizada
Medonha, olha o ceu
De diamantes incrustados
No negrume da flor

Chora sozinha a Bela-Flor
Chora inconsequente
Seu barco: Nau ausente
Timoneiro que se foi

Chora sozinha a Bela-Flor
Treme e se remexe
Mas sonha, como flor
Que uma dia encontra o amor
E sorri novamente

Sorri a Bela-Flor
Sorri docemente
Sorri como um passaro
Sonhos inocentes
E beija abandonada
Flor de laranjeira
Patio, espaço e ceu
Vida de primeira
De qualquer maneira

E vive verdadeira
Verdadeira Flor..

mercoledì, luglio 26, 2006

Virgínia

Virgínia

Mutantes
Composição: Indisponível

Vá embora e feche a porta,
Tenho frio
Vá embora antes que eu chore,
Tenho frio
Vou trancar-me para nunca mais abrir
Pro sabor dos nossos sonhos não fugir

Ainda lembro de janeiro
Quando o sol me deu você
Meu presente de ano novo
Que agora o frio levou
Mas por favor, senhor sol,
Me dê de volta
Virgínia
Senhor sol,

venerdì, luglio 21, 2006

Ao Anjo Vingador





Tremei malditos insolentes
Tremei vós que se fazeis eloqüentes
Ouvi em todos os cantos
O brado gentil dos Santos
Em honra à minha fúria!

Eu sou teu senhor
Teu mestre guardador
Vampiro guia para o cadafalso...

Sim! Ouvi, vermes escusos,
Ouvi também irreverentes
Não éram vós os inocentes?

Soldados, soldados
Marchai como em batalha
Destruí toda essa gentalha
Levai-os para as masmorras
Isolados, na sua própria Gomorra
Deixai-os tostar ao sol...

Sim, é minha a glória,
É minha a história, epopéia
É meu o gládio, odisséia
Mãos, lábios e rosto
Gritos de gozo e desgosto...

mercoledì, luglio 19, 2006

Senhoras e senhores

Meninos e meninas

Donzelas e donzelos

Eis que o centésimo post do Grandioso Poeta Matemático chegou..

Viva
Viva
Viva
Viva

E, como prometido, aqui vai uma seleção com aquilo que eu achei de melhor pra homenagear vcs, meus queridos amigos...

Aí vai:

Aline
Bela
Coyote
JuJu
Mamy
Menina
Miss P.
Selph
Sad

Os outros, por favor, me perdoem, mas eu não recebi as sugestões de vcs, então fica difícil....

Ah, tem de ter o meu preferido..

Ei-lo

Por fim, agradeço a todos os que tem me suportado todos esses meses...

Mais uma vez, obrigado...

Fiquem com Deus...

lunedì, luglio 17, 2006

Vocês gostam de matemática?

Só mais um...

Só falta mais um...

Unzinho só...

E eu aqui nessa expectativa...

Não entenderam?

Eu desenho...

Ó só...

Tome um retângulo de lados 1 e raiz de 2..

Calcule o tamanho da diagonal...

Logo após, eleve esse dito número à quarta potência...

Vc terá o número A.

Depois disso, tome um círculo de raio 6/Pi...

Calcule a área desse círculo...

Divida o número obtido por 3

Tire uma unidade

Vc terá um número B...

O número desejado será AB.

Entenderam agora?

Senão, esperem o próximo post...

Inté...

sabato, luglio 15, 2006

Sobre o Amor, Suicídio e Outras Histórias

Guardo poucas recordações boas de quando eu tinha doze anos. Foi uma época muito difícil pra mim, os doze anos. Alguns amigos morriam, outros me maltratavam. Sinto ainda a faca de uma tentativa de suicídio nessa época. Tenho a marca sobre o peito, logo acima do coração...

Eu era uma alma triste e abandonada. Muito difíceis esses dias.

O principal problema era a solidão. Eu olhava para o mundo em volta e não via ninguém, só a dor dilacerante do silêncio e da solidão. O que me movia era a certeza absoluta que jamais seria amado por ninguém, como homem, amigo, pessoa. Era uma certeza tão grande e forte que me deixava isolado, solitário, triste...

Eu conheci o lado doloroso da vida muito cedo. Sorria muito pouco e chorava por dentro todas as noites, embora jamais vertesse lágrimas. E ficava só, com meus livros e discos...

Mas isso passou...

O tempo cura a solidão com a mesma força que cura todas as tristezas que existem. O tempo é o conselheiro sábio, fiel e paciente. Contra ele não há remédio, nem contra a morte.

Aprendi, a muito custo que o respeito, assim como o amor, precisam ser conquistados. A vida é um espetáculo de andanças e refregas, onde pequenas batalhas cotidianas dão o tom de uma existência gloriosamente insignificante, ou insignificantemente gloriosa...

E, nesses devaneios, aprendi a amar e ser amado. Aprendi a confiar com todas as forças e a ser merecedor da confiança das pessoas. Aprendi sobre o sexo tântrico, sobre o Orgasmo Múltiplo, sobre pontos erógenos especiais e sobre como, no fim das contas, é muito simples fazer uma mulher feliz.

Por fim, hj, quase aos 22 anos, acordei num dia lindo, num céu sem nuvens no azul cotidiano do planalto central, senti o cheiro familiar das coisas que me cercam e me dei conta:

EU SOU MUITO AMADO...

E, por causa disso, eu tenho muita sorte. Tenho muito do que me orgulhar...

Amo vocês, meus caros amigos, com todas as forças. A vida não permite que sejamos pouco intensos. Uma vida mais ou menos é uma vida sem nada...

E, espero ser merecedor, senão do vosso amor, ao menos de vosso respeito. E, hj, quase aos 22 anos, eu gostaria de dizer que as pequenas coisas que vcs fazem por mim contam muito nesse coração, eternamente incompleto e solitário.

Um homem não pode viver só. Um poeta menos ainda. Um poeta matemático então, nem se fala...

Fiquem com Deus, meus amados e saibam que eu penso sempre em vcs. Contem comigo pra tudo. Eu faço tudo por vcs...

Abraços

Roger Elias Tabaldi
Vulgo Poeta Matemático

giovedì, luglio 13, 2006

Surprises

Puze, povo...

Aqui do ladinho ===============>

Agora tem uma ferramenta de busca...

Estamos perto de uma data muito importante...

Entao, vamos fazer um jogo, eu e tus..

Eh o seguinte...

Eu pretendo republicar os meus melhores posts..

Eu tenho uma listinha aqui comigo..

Mas, como sao vcs q fazem esse blog

E tudo q eu escrevo aqui eh pesando noces...

Nada mio q oces me ajudarem a descobrir

Quais os melhores posts do Pensamentos Poeticos Matematicos...

Entao, pra participar da brincadeira eh bem simples..

Va na busca..

Encontre o teu post preferido

E me manda um e-mail (mahungria@hotmail.com)

Com o endereço...

Entonces..

Alem de re-publicar..

Eu deixo uma surpresinha pra quem me lembrou do post..

Vcs topam?

Espero as primeiras respostas..

Beijos pras mulheres

Abraços pros cuecas...

mercoledì, luglio 12, 2006

Voltei

Faça dos nossos corpos poesia
Que dessa história faremos boemia
E o condoreiro vai voando lá o céu
A essa hora da madrugada...

Vem olhar os céus comigo
As nuvens nos esperam
Só para isso
E eu vou lhe mostrar
Como é o paraíso..
Nesse país livre como nós

Sim
A culpa emerge do coração arruinado
Doce e sorumbático
Flor-rosa que coroa o tempo

Sim,
O orgasmo libertador
O orgasmo múltiplo
Sexo com o tempo e a vida

Sim,
A tristeza se foi
Embora eterna
Embora cálida
Embora sensível
E tácita
Dormente
Docemente
Injustiçado
Como o último beijo
Como o último suspiro
Escondido nos olhares

Sim,
Eu e meus devaneios
Eu e meus vícios
Eu e minhas pulsões
Meu erotismo
Meu derrotismo
Minha glória escancarada
O gozada pelos céus...




Mas não...



Não se esquive da sombra
Que empobrece o tédio
O amor é assim, vem como em onda
Vida, verso, vinte e dois anos...

sabato, luglio 08, 2006

E, virá o beijo...




Docemente aguardado

Docemente desejado...

Libertador...

venerdì, luglio 07, 2006

Quatro...

Por que as coisas que são mais simples de se perceber....

São sempre as mais difíceis de se mostrar?

mercoledì, luglio 05, 2006

Três

No fim das contas....

Existe muita verdade por trás da letra P.
P de Primo
P de Pai
P de Príncipe
P de Poesia.

P de prova amanhã...

P pra quem passar por aqui..

lunedì, luglio 03, 2006

Dois....

Bem, mas, no fim das contas....


Não é verdade que tudo o que acreditamos é baseado em algum tipo de suposição que não podemos provar?