« Domestico | Teu » | Flor » | Sobre Ontem » | Cimento » | Um novo momento » | Clarisse » | Mães » | Mozart » | Pôr-do-Sol » | Poeminhas »

Fim

Veja ao longe o castelo de sombras
Anúncio real do fim dos teus dias
Gemei, pecador de tempos indômitos
O gládio estourou enquanto dormias
Soldados se erguem à destra e acima
Mulheres chorosas em sangue e tripas
Teus filhos malditos, a história ensina
Serão esquecidos no sopro do tempo

Correi filhos imundos da esperança
Correi e velai no ritmo sujo da dança
Que a Morte dedilha em seu acordeão
Imperadores e servos cantando o refrão
Filhos de Eva, párias vis, memoráveis
Metal e milongas, tangos, fados e sambas
Valsa cadente no ocaso dos céus
Blues depressivo no lar dos querubins

Venham todos adorar o fantasma
Venham esbaldar-se na festa do sangue
Comemorar o nascimento da desgraça vasta
Comer do banquete do fim dos Tempos

brigadu!! eh issu msm... :(

agora tu jah pode voltar pras bunitinhas de amor... eheheheheeehehhehe!!!

nussa... tou lendo de novo...
como assim já tava pronta?!?!?!
(tah linda e triste, naum pode!)

Ué? Por que tá postado duas vezes? Mas, tá bonito...

SABE QUE AS VEZES EU LEIO AQUI...
QUERO POSTAR, MAS NUNCA SEI O QUE DIZER????
:/

Isso seria uma homenagem ao 06/06/06????

(percebeu como ultimamente eu só tenho feito perguntas bestas?)

Mas olha, posso te confessar uma coisa: vc está meio distante... de mim, pelo menos!

Posta un commento