« Domestico | Parte I (Finalizada) » | Uma Licença Prosaica Num Blog Poético » | Chuva de Ópio » | O Louco e o Furacão » | Medo » | Mães » | JujudeBlu » | Paz » | O Amor » | Macbeth »

Inferno..

A greve acabou. As aulas começaram hoje. Que inferno. Detesto ir pra universidade. Prefiro mil vezes ficar em casa lendo meu Dostoiévski. Detesto gente medíocre que me obriga a ser medíocre também. Detesto ir pra universidade, assistir uma aula extremamente maçante com um professor desanimado, estressado e cansado só pra conseguir uma presença. Detesto ser taxado de reacionário quando digo que não auento mais essa porcariada de copiar matéria no quadro.

Agora eu entendo porque quase ninguém gosta de matemática. Os professores a universidade contribuem muito. Gente, o quê que custa dar a ilusão de que os alunos são pelo menos um pouquinho mais importantes do que os projetos de pesquisa desses "eminentes" professores? O quê que custa olhar nos nossos olhos e dizer "bom dia, vocês têm alguma dúvida?". Sério, tô chateadíssimo. Matemática é bela, é poética, estonteante, uma das mais profundas e verdadeiras formas de pensar. É um patrimônio cultural da humanidade que pra maioria das pessoas não passa de um conjunto de símbolos incompreensível...

Mas o problema não é só esse não. Tem os alunos também. Como a gente consegue achar tanta gente que não contribui em nada por metro quadrado? Aqueles filhos de burgueses sem luz que nunca tomaram uma decisão mais importante na vida do que o posto em que colocam gasolina nos seus carros. Essa gentinha mais ou menos que olha a gente de cima pra baixo e não tá nem aí pro que a gente pensa. Essa gentinha mais ou menos que queima índios, estupra criancinhas, atropela ciclistas em racha e se acha o centro do mundo. Essa gentinha mais ou menos que nunca é condenada pela justiça. Essa gentinha mais ou menos, fruto de dezenas de gerações de gentinha mais ou menos que governam esse mundo desde o primórdio dos tempos...

E, no meio desse caos, eu vejo o jardineiro, ali, sentado no chão, cultivando, adubando, podando, arrancando as ervas daninhas. Silente, compenetrado, cooperativo. Fumando seu cigarro, sozinho. Em quê ele pensa? Ele sim é a síntese da universidade, do conhecimento. Ele ali, analfabeto é o único que entende de verdade o que é a universidade. A universidade é o silêncio. O silêncio das sementes que germinam e viram árvores. O silêncio dos que desejam aniversários. O silêncio dos que amam. Silêncio dos jardineiros de Deus...

Hum.

Ouvi uma vez, num curso de Relações Humanas, uma historinha.

Um homem estava chegando a uma cidade, e a primeira pessoa que viu foi uma mulher. Perguntou a ela:

- Como são as pessoas dessa cidade?

E ela rebateu:

-Como eram as pessoas da cidade de onde você veio?
- Ah, um bando de gente mesquinha, egoísta, não se preocupam em cumprimentar ou perceber a existência do próximo, gente da pior espécie, canalhas.
-As pessoas desta cidade são exatamente assim.


Dias depois, outro homem chegou à cidade e perguntou o mesmo à mulher. Novamente, ela inquiriu:

-Como eram as pessoas da cidade de onde você veio?
- Extremamente simpáticas e amigas! Sempre dispostos a ajudar, criativos, cultos e agradáveis...Sentirei imensa falta de cada um deles...
- As pessoas desta cidade são exatamente assim.


*****

Pensemos, querido. Boa reta final pra você.

Hoje li um e-mail cuja mensagem era parecida com a que o texto que a pessoa acima postou passa...

Que se danem os professores mal humorados e com má vontade e a "gente mesquinha" que está a sua volta, por que o que importa realmente é você!

Mas que isso não te impeça de desabafar sempre que sentir necessidade. Como diz o meu avô, "se eu não explodir, eu vou acabar implodindo, e aí vai ser pior".

É difícil se sentir estimulado a completar um curso quando vemos tanto desinteresse ao redor. Mas, nossa atitude mental é fundamental para nos ajudar a perseverar. E, como futuro educador, essa experiência que você está tendo é de vital importância, já que, mais do que ninguém, você quer mudar isso.
Beijos, Poeta lindo. Você também é muito bom na prosa.

Gostei do que a Menina disse... faz bem mais sentido do que o que eu ia dizer, que era o seguinte:

Sinto um pouco de revolta no seu coração, não seria o caso de você mesmo rever os seus conceitos?!

I have been looking for sites like this for a long time. Thank you!
» »

Very nice site! »

Posta un commento