« Domestico | Reveillon - Parte II » | Sou Eu, Não Acreditas? » | Chuva » | A Teoria dos Cachorros Assassinos » | Reveillon - Parte II » | Reveillon - Parte I » | Noite Punk » | Parte II - Assim Dizem os Generais... » | Aos Que Se Expõem » | Tardes Cariocas »

Ave



Sou filho nascido da velocidade
Conheço o mundo através das minhas asas...
Sou o condor que plana pelos Andes
Incólume, vou errante contra o tempo
Atrás das linhas inimigas que me afligem.
Sou o senhor soberano das alturas
Conhecedor dos segredos ocultos dos céus
Maltrapilho cidadão do mundo dos ventos
Amigo das fadas e das ninfas celestiais!
Sou o sonhador que nunca acorda
O torcedor que sempre torce
O grito que ficou na sua garganta
Aquele que não soltastes no dia do seu triunfo
Aquele que carregas contigo acima de qualquer suspeita!
Sou o que tu levas no peito com carinho
O amor que tens guardado e não revelas
Sou a canção que sempre lembras
Sou teu medo do escuro, a amplidão
A flor que levas contigo, teu sorriso
Teu gozo, teu charme, teu gingado
Teu beijo, teu sonho, teu perfume
A bebida que adoras, teu ópio
Teu sangue, a gasolina de tua alma
O arrepio que tens na nuca, o sol.
Sou o prazer que não revelas
Aquilo que sentes e não sabes
Sou o capitão de teu barco pelo mundo.

Prazer, me chamo (Censurado).
Venha comigo conhecer a madrugada dos aflitos
E prometo que não te deixarei andar sozinha.

Só num gostei do "censurado"... :)

Olha, como eu dizia pra ti, a foto da ave, o poema e a música, me fizeram sentir aquele arzinho de liberdade, sabe? Sabe quando você fecha os olhos e voa? Sabe quando você descobre, finalmente, que você é livre? Pois é, cinco minutos de liberdade nesse seu poema...

Merecia uma melodia esse poema. Ele já vem com tanto rítmo. Se anima, Poeta, e faz a música.

Prazer, (Pedro Ricardo)!
Posso dizer que esse poema ficou lindo... e mereceria uma música, como bem sugeriu a nossa Mamy! Aliás, ela sugeriu a segunda parte do seu nickname... ou será que me aproximei (isso é uma pergunta, estou com o teclado podre!).

E aí, Poeta? Pedro ou Ricardo? Qual é o melhor? (porque os dois juntos não dá, né?)

Muito massa, poeta. Muito bacana mesmo! A trilha de fundo foi composta para este poema. Abraços!

Gostei, muito bacana!
Eu já escrevi um poema dizendo ser eu um condor...se quiser eu te mando...vc tem e-mail?
Beijos!

uau, isso nos classificados faria um sucesso bruto! hehehe

Bom, brincadeiras à parte, é lindo traduzir o simples. e vc faz isso com louvor, beijos

Ana P.: Então, é bom vc misturar poesia, som e imagem, causa boas impressões. Vive la liberte...

Mamy: Eu juro que vou tentar, mas não garanto nada não. Eu não tinha pensado nesse como uma melodia e isso acaba criando um certo bloqueio de composição. Se eu conseguir eu te digo...

JuJu: Na verdade não. Eu não gostei de Pedro Ricardo, acho que não combina. Que tal pensar num nome com sobrenome, tipo Ricardo Holandda ou Pedro Porto?

Mamy: Eu me abstenho, espero que vcs entrem num consenso. Acho que meu próximo post é sobre isso...

Max Santos: Eu pus esse negócio pq aqui pertinho o cara fica sempre tocando essas musiquinhas... Aí, sei lá, inspirou....

Fer: Me adiciona aí mahungria@hotmail.com. Eu quero ver sim...

Ana (que não é P...): Olha que eu não tinha pensado nisso. Acho que se fosse pros classificados ia ter de cortar uns versos, já que lels cobram por palavra, hehe. Obrigado pelos elogios...

O poema ainda nem foi submetido pros classificados e já está censurado? Hehe... Achei bonito e me parece espontâneo, como tudo o que você tem escrito ultimamente. Não deixe a poesia sair de sua vida...

Maravilhoso! Já estou sem adjetivos para falar do que escreves, è tudo tã bonito! Sobre o meu aniversário vc fica me devendo o presente, quem sabe uma poesia sobre o tempo. Pense nisso.
Um beijão querido.

lindo! combinou bem com a imagem. Nos dá a idéia de liberdade como bem falou ana p.
Tudo de bom, continue nos presenteando com suas poesias.

Looking for information and found it at this great site...
» »

Posta un commento